Um dos temas mais debatidos por quem estuda ou trabalha com marketing digital são os testes A/B! Embora o teste seja comum nas áreas de marketing, muitos empreendedores online também o utilizam para medir o tráfego das suas campanhas e anúncios, por exemplo. Mas a maioria não consegue obter os  resultados estatisticamente esperados. Ou pior, os resultados não são nada confiáveis.

Em 2018, uma pesquisa mundial realizada pela UserTesting com 3,9 mil profissionais, revelou que para menos de 20% dos entrevistados, os testes A/B produzem resultados significativos.

A sua loja usa o teste A/B? Antes de falarmos sobre a importância do teste, é necessário compreender quais tipos de erros são cometidos ao usar o teste.

Teste A/B em números

De acordo com John Donahue (Chief Product Officer),diretor de produto da plataforma Sonobi, as vantagens do teste A/B são inquestionáveis.“Desenvolver qualquer projeto criativo requer muitos pressupostos e o teste A/B permite que você remova esses pressupostos”.

Donahue afirma ainda que a utilização do teste A/B pode economizar 40% do orçamento de mídia, em plataformas de anúncios como o Facebook, uma vez que produz resultados mais efetivos e direcionados. 

E a sua loja usa o teste A/B?

Você usa corretamente o teste A/B? Sabe qual o retorno que o teste pode trazer para o seu negócio? Se suas respostas a estas questões foram “uso, mas não obtive retorno significativo” ou

“ já usei e não converteu mais leads”, atenção! Você pode estar perdendo uma grande oportunidade de avaliar e colher informações sobre as métricas digitais e como aumentar as taxas de conversão do seu negócio.

Uma das principais utilidades do teste A/B, é testar qualquer elemento, desde uma ferramenta completa de checkout, passando por uma landing page, um CTA de um site ou até mesmo um e-mail. 

O Guru separou algumas dicas que irão ajudá-lo a não cometer erros na utilização do teste A/B, permitindo o aumento dos visitantes qualificados, das suas vendas e, consequentemente, do seu faturamento.

Quer saber mais sobre os principais erros e como evitá-los? Confira as dicas abaixo!

Erros que você pode estar cometendo no seu teste A/B

Cada negócio online é único. Assim como o público, é importante que a sua loja se destaque dos concorrentes. Para isso, tenho certeza que costuma analisar taxas de respostas dos leads e usuários, como site, e-mail marketing, redes sociais ou qualquer outro canal de marketing, não é mesmo?

Além dessa analise, quais são as mudanças que você já fez para tentar atrair cada vez mais público? Mudar botão do CTA, cor do site, mandar e-mail, realizar promoções…e nada mudou? Pode ser que você esteja cometendo um dos erros abaixo.

Então, chegou a hora de bolar uma estratégia diferente para otimizar as taxas de conversão do seu site!

#1 Não traçar objetivos claros

A maioria das pessoas começa os testes A/B sem ter um objetivo definido. Testam coisas diferentes, mas não sabem ao certo qual é o objetivo principal. Aqui, não basta querer, tem de traçar objetivos! Defina claramente quais serão seus indicadores chave de desempenho (KPI) e de que forma poderá utilizar o teste A/B para alcançá-los.

Todos os testes A/B têm metas cuja taxa de conversão você deseja aumentar. Esses objetivos podem ser diretos (clique em links, página de visitas) ou indiretos (como frete grátis ou cupons).

Você pode testar praticamente tudo do seu site. Existem pormenores básicos que, muitas vezes, fazem a diferença. Será que as cores do seu CTA são apelativas? A cor de botão da compra chama atenção? O título de e-mail é interessante? 

Mas, não quer dizer que tenha de passar meses testando todas as pequenas coisas. Em vez disso, estabeleça objetivos e concentre-se no que lhe pode trazer maior  impacto:

  • Cabeçalhos, manchetes e títulos (headers e heading)
  • Subcabeçalhos
  • Texto do parágrafo
  • Testemunhos
  • O texto da chamada à ação
  • O botão do seu call-to-action
  • Links
  • Imagens
  • Rodapé
  • Prova social
  • Menções da mídia

Antes de começar a testar vários elementos:

Você deve descobrir qual é a estratégia deverá seguir. Ou seja, pense bem qual o público-alvo pretende atingir, o plano a seguir e a estratégia a alcançar.
Em outras palavras, antes de começar a usar o teste A/B, deve testar vários assuntos e conteúdos. Você deve ainda testar duas estratégias de marketing diferentes e escolher a mais adequada para o seu negócio.

Você pode testar duas maneiras diferentes de converter destinatários, por exemplo. Em primeiro lugar (teste A) por um formulário de e-mail ou login em redes sociais. Em segundo lugar (teste B), enviando pessoas para uma página de destino versus permitir-lhes comprar o produto diretamente via e-mail.

Mas atenção! Deve testar apenas um elemento por vez, para entender se sua estratégia funciona ou não.

#2 Segmentação errada ou falta de segmentação

Quando não existe segmentação, as  campanhas são direcionadas para públicos aleatórios e os resultados tendem a ser pouco eficientes, pois as pessoas certas não serão alcançadas. Você tem de confiar na segmentação para oferecer experiências personalizadas. O público-alvo pode não ser o consumidor final, mas exerce algum tipo de influência na decisão de compra.

Como, por exemplo, a época natalícia, data ideal para atrair novos visitantes e compradores para a sua loja. O que você fez para atrair os seus clientes? 

É um erro acreditar que o mesmo cliente, terá as mesmas necessidades todos os anos. Ou que usando a mesma mensagem, irá atrair novos clientes. O ideal é planejar pensando nas personas aos quais esses anúncios serão direcionados! 

Não adianta desembolsar rios de dinheiro numa campanha de brinquedos (com os atores mais famosos e as melhores locações), quando não definiu o tipo de público alvo, a faixa etária e a localização geográfica que pretende alcançar.

Para atingir segmentos de marketing específicos, personas e decidir públicos, é prioritário saber se comunicar com eles. Mas como posso fazer isso? É simples! Você poderá, por exemplo, enviar um e-mail em duas versões (Teste A/B) com uma oferta de frete e analisar qual dos dois obteve mais receptividade por parte do cliente. Pense a longo prazo!

Com essa informação em mãos, você será capaz de desenvolver uma estratégia de aproximação, de forma mais assertiva e lucrativa para o seu negócio. Deste modo, o feedback do público-alvo, pode facilitar a compreensão das necessidades de personas, melhorar a sua comunicação e evitar erros desnecessários para o seu negócio.

#3 Amostragem insuficiente

A amostragem é uma forma de selecionar  um grupo de indivíduos de uma determinada população (seja ela demográficas/sexo/classe social), com o objetivo de caracterizar a população total.

Quando você aposta em campanhas de e-mail marketing, ou em postagens em redes sociais, por exemplo, seleciona quais tipos de amostra? Quais as características da população que se pretende segmentar?

A não definição do tamanho da amostra invalida a conclusão de um teste A/B, gerando resultados difusos e pouco conclusivos. 

Por exemplo, se a sua loja vende produtos de makeup para o público feminino, deve selecionar a idade (16 – 30), sexo feminino, classe social pretendida, por exemplo. Não caia no erro de ter uma amostra muito grande (várias faixas etárias ou homens, por exemplo) para não  deitar dinheiro para o lixo e não chegar a conclusão nenhuma.

Deste modo, a amostragem irá garantir a qualidade do resultado, a partir de um determinado número que representa estatisticamente uma população, num universo concreto.

#4 Periodicidade inconstante

Um dos erros clássicos durante a análise de resultados do teste A/B é a periodicidade das atividades. Não adianta, por exemplo, ter a segmentação, amostragem correta, confiabilidade alta, objetivos e hipóteses bem definidas, mas realizar testes em períodos aleatórios. Ou pior, fazer um único teste e pensar que ele será válido por toda a eternidade!

Você deve esperar, no mínimo, 7 dias entre cada teste, para analisar as diferenças no tráfego entre dias de semana e fins de semana. No entanto, o ideal seria esperar pelo menos 2 semanas, para evitar impacto de feriados ou sazonalidades. Deve ainda esperar obter no mínimo 100 conversões para conseguir dados confiáveis.

Tenha os dias certos para iniciar e finalizar seus testes, considere sazonalidades e datas especiais. Cada fator externo de tráfego ou comportamento enviesado pode prejudicar todo o seu resultado.

Dicas para não cair nestas armadilhas 

Agora que você já sabe quais são os erros mais comuns, separamos algumas dicas que vão ajudá-lo a não cometer os mesmos erros e fazer o seu negócio online crescer ainda mais! Por isso:

  • Defina  cuidadosamente a métrica certa para o teste com base em objetivos devidamente estruturados;
  • Construa hipóteses claras: não faça suposições sobre o que os clientes pretendem.
  • Calcule o tamanho da amostra (número de visitantes) antes do início do teste.
  • Aguarde até que o tamanho de amostra calculado seja alcançado antes de interromper o teste —  não interrompa o teste de forma prematura;
  • Ajuste o nível de confiança ao fazer a segmentação pós-teste ou avaliar mais de uma alternativa;
  • Decida um nível de confiança antes do início do teste e siga esse limite ao avaliar os resultados após o término do teste

Os bons resultados requerem tempo e análise. Estes são “apenas” alguns erros que a nossa equipe selecionou para o ajudar a não trabalhar mais na base da adivinhação! É importante garantir uma estratégia e uma linha condutora. Se quiser saber mais sobre esse assunto, leia este artigo. 

Lembre-se sempre: não é só na taxa de conversão que encontra o segredo do seu (in)sucesso, mas em todos os dados, processos e escolhas que ficaram lá atrás.