O mundo está em estado de emergência pela pandemia global! Você está atento aos registros dos últimos dias?  O novo Covid-19 (coronavírus) está ameaçando a economia mundial – e o inimigo aqui atinge tanto os países mais pobres quanto aqueles bem desenvolvidos economicamente. Ou seja, o que se vê nos últimos dias são ruas desertas, trabalho em home office, estabelecimentos comerciais fechados, cidadãos impedidos de sair de casa: um verdadeiro caos social!

Como resultado, tantos países em estado de alerta, distanciamento social e dezenas de lojas sendo fechadas diariamente (e em grande escala), o novo coronavírus está obrigando lojistas de todo o mundo a reinventarem-se. Isso porque pensar “fora da caixa” num momento como esse pode ser o diferencial entre a ruína e a sobrevivência de um negócio.

Afinal, diante desse cenário,como você está pensando ultrapassar esta pandemia? Se você já vende online, está na hora de apostar numa estratégia mais ofensiva. Agora se você faz parte do grupo que ainda tinha alguma dúvida em relação à importância do mercado online, chegou a hora de recalcular todo o plano de ação. A epidemia, apesar dos pesares, pode representar uma oportunidade. E é justamente para esse ponto que queremos alertá-lo.

Se você ainda tem dúvidas de que seu negócio pode ter sucesso no mercado digital, este artigo é para você. Quer saber mais como tirar proveito do mundo digital? Continue lendo!

Online vs offline em tempos de pandemia

Antes da pandemia, por desconhecimento ou acomodação, muitos donos de lojas físicas que desejavam empreender no mundo digital acabavam por desistir ao imaginar a quantidade de custos e trabalho para a criação de uma loja virtual. Mas agora, com os negócios a portas fechadas, restam-se poucas alternativas para àqueles que ainda apostam exclusivamente na venda cara a cara.

A venda pela internet, neste momento, é uma prioridade para lojistas com negócios físicos. E são os números quem dizem isso. Na segunda-feira, primeiro dia de isolamento voluntário no Brasil, o fluxo de visitantes em lojas físicas caiu 27,1% em relação às demais segundas-feiras do ano. Já nas lojas online, o número de visitantes segue em crescimento. E vão crescer ainda mais. De acordo com uma pesquisa da NZN mostrando que 49% dos brasileiros consideram reavaliar seus gastos, sendo que 71% afirmam que pretendem aumentar o volume de compras online.

Você não está sozinho nessa

Nós sabemos que a luz no fim do túnel parece bem distante. Mas você não está sozinho nessa.  Milhares de empreendedores de todo o mundo estão passando por uma situação semelhante e até grandes lojas estão adaptando a sua estratégia de forma a priorizar as vendas através do comércio eletrônico. E sabe a maior curiosidade? Existem diversos tipos de negócio, de diferentes áreas, percebendo que a internet pode ser o maior aliado neste momento. Quer alguns exemplos?

E começam as apostas no online 

É provável que comprar roupa nova seja a última coisa em que muitos consumidores vão  pensar durante a pandemia do novo coronavírus, mas isso não impede que parte dos lojistas desse mercado comecem a adaptar suas estratégias. O grupo Inditex  (Zara,Massimo Dutti, Stradivarius, Bershka, Pull & Bear, Oysho, Zara Home, Uterqüe e Lefties) encerrou todas as lojas por tempo indefinido, em Portugal, enquanto o grupo sueco H&M (H&M e COS) fez o mesmo e agora todas as vendas são feitas exclusivamente de forma online. 

Num outro cenário, o varejo, sobretudo o setor de  alimentação, área que faz parte ativa do dia a dia das pessoas, continua em transformação. E a prova disso é a contratação de funcionários para suprir as encomendas crescentes do mercado online por grandes redes de supermercado. Outro exemplo, desta vez no setor de viagens e aluguel de casas, vem da Itália. Uma “Nonna” de 84 anos que vendia experiências culinárias através do Airbnb, precisou mudar a forma de oferecer seus serviços já que a pandemia afetou a circulação de pessoas.  Com o isolamento e os cancelamentos crescentes das reservas, ela passou a vender as experiências como aulas online – agora, às pessoas pagam o equivalente a R$255 para duas horas de aula de culinária ao vivo com a avó.

E você aí preocupado que o seu negócio tivesse ou não aderência ao mercado digital, não é mesmo? Com acesso à internet, o céu é o limite! 

Quero começar  mas não tenho tempo e a verba é curta

Neste momento, você deve estar se perguntando a respeito do investimento necessário e do tempo dedicado ao projeto. O que muitos não imaginam é que o processo não é assim tão caro e nem tão longo. Não é necessário desembolsar grandes quantias de dinheiro para obter uma estrutura de vendas online. Nem perder semanas para desenvolver um protótipo.

Você pode não saber, mas existe um “mundo” novo das vendas à sua espera. Um mundo onde, com apenas uma página de vendas e um processador de pagamento, é possível lucrar. O passo mais importante agora é: estar preparado para enfrentar as dificuldades e dar os primeiros passos nessa jornada.  

E por onde devo começar? 

Você já percebeu que ter uma loja online é essencial, ainda mais nesses momentos de crise. O maior problema é que muitos lojistas acreditam que o único caminho para começar a vender online é a criação de uma loja virtual com vários produtos, seja através de um e-commerce ou marketplace. E você está completamente enganado. Se você está pensando que essa é a única solução, este artigo sobre os malefícios do marketplace pode ajudá-lo a abrir os olhos.

Além disso, você deve saber quais são os custos e o tempo envolvido nestas plataformas, não é mesmo? E uma das coisas que você não tem agora é tempo. O quanto antes começar a vender online, mais rápido começará a atender seus clientes e evitará que estes procurem concorrentes para substituí-lo. Aqui, a métrica é simples: estar presente para ser lembrado.   

A verdade, no entanto, é que você pode começar a vender online a partir de um único produto, sem carrinho de compras, e apenas com uma página de vendas. Atenção ao que estamos dizendo. O e-commerce e o marketplace podem ser fortes aliados no crescimento da sua loja. Mas isso no futuro. Agora, você precisa tirar as coisas do papel. Por isso, fique atento a esse checklist

#Identifique um nicho e crie uma página de vendas

Você pode se inspirar na Nonna ou nas lojas de varejo online que falamos acima. Você vende bolos ou salgados, por exemplo? Pode aproveitar o seu conhecimento para criar uma página de vendas ensinando receitas ou com ebooks sobre o tema. Se é um salão de cabeleireiro ou uma esteticista, pode criar uma página com foco em oferecer os produtos vendidos no salão. Ou uma consultoria especializada para que as pessoas façam o tratamento em casa. 

O segredo, neste momento, é não ter medo de “entregar o ouro” aos clientes. Essa é só uma fase e o compartilhamento de informações poderá colocá-lo no papel de influenciador – e você pode se aproveitar muito disso quando essa crise passar.

Falando sobre a página de vendas, seja claro, busque apoio de imagens e elementos gráficos e, mais importante, solte sua criatividade. Neste artigo, listamos algumas dicas essenciais para uma página de vendas de alta conversão.

#Escolha um processador de pagamento

Se você vende fisicamente provavelmente já tem um processador de pagamento ( talvez não conheça por esse nome, mas sua maquinha de cartão de débito/crédito é um exemplo). Se ainda não tem um processador de pagamento, a lista de opções é longa: você só precisa escolher aquele com a melhor taxa, tempo para resgatar o dinheiro ou que apresente melhores condições para o seu negócio.

Aqui, a dica principal é fazer uma pesquisa completa: o mercado está repleto de opções, cada um deles com diferentes taxas de processamento e serviços diferenciados.

#Busque uma plataforma para ser o seu suporte online

Não é porque você não precisa de um e-commerce ou de um marketplace que precisa descartar totalmente a utilização de plataformas. E agora chegou o momento de vender o “nosso peixe”. O Guru é uma solução simples e rápida para quem quer começar a vender online. Além de você ter acesso a um link de pagamento otimizado, também pode gerenciar todo o processo de vendas usando métricas e integrações inteligentes. Com o Guru, você terá controle total dos seus números, taxas de conversão e ROI em tempo real.

E sabe o que é melhor? O Guru tem um valor fixo ao mês. Isso significa que você não pagará por cada uma das transações realizadas e, além do checkout, leva todas as funcionalidades no mesmo pacote. Bacana, não é mesmo?

Para entender melhor e saber como transformar o seu negócio, o Guru tem um teste gratuito de 14 dias. Para fazer a sua conta e começar a sua jornada no mundo online, basta cadastrar-se aqui – lembrando que não é necessário inserir nenhum número de cartão de crédito.

Agora, mão na massa

A sua opinião, ainda é a mesma sobre criar um negócio online? Em tempos de pandemia, a venda online é uma possibilidade de aumentar a sua participação no mercado, atrair novos clientes e, consequentemente, aumentar o seu faturamento. E o mais importante: você não precisa de muito para começar. 

Vamos começar hoje mesmo?

mockup banner datas sazonais

Checkout de Alta Conversão

Conecte seu processador de pagamento e venda através
de um checkout ágil, com marcação automática de pixel e zero taxa.

Sem compromisso